Brise: o que é e como aplicar em projetos?

Brise

O brise é um dispositivo arquitetônico que existe há décadas. Contudo, o uso dele tem recebido destaque nos últimos anos devido à qualidade estética e funcional. É provável, inclusive, que você já tenha visto uma edificação com esse elemento, sem perceber, de fato, o papel dele naquele projeto. 

Então, para conhecer mais sobre o brise, continue a leitura! Reunimos neste texto as principais informações sobre o assunto. Veja a seguir!

O que é um brise?

O brise é um elemento arquitetônico responsável por revestir e proteger a fachada de uma edificação. Também conhecido como brise-soleil ou quebra-sol, segundo um artigo, eles são usados para garantir o controle solar e proteger os usuários do desconforto visual ou térmico.

Em outras palavras, esse dispositivo é formado por lâminas externas que controlam e equilibram as radiações solares na edificação. Por isso, podem ser fabricados em materiais como:

  • Madeira;
  • Fibrocimento;
  • Aço;
  • Alumínio;
  • Vidro;
  • Policarbonato. 

E eles podem ser na horizontal, vertical ou até mesmo combinados. 

Mas esse elemento vai além da sua função de sombrear! Ele interfere, de forma direta, na iluminação natural e nos ganhos térmicos solares.

Ou seja, os brises garantem a uniformidade quanto à distribuição da luz incidente. O que, por consequência, colabora com a redução da temperatura interna. 

Já no inverno, a função é oposta. Isto é, ele será responsável por direcionar mais luz e calor para dentro do edifício, aumentando o conforto interno. 

Esses benefícios também são influenciados pela contribuição do brise no manejo da ventilação natural. Inclusive, os horizontais, conforme aponta outro estudo, são capazes de aumentar a circulação de ar dentro do ambiente.

Além disso, ele também poderá ser usado para gerar privacidade. Afinal, a angulação e o formato impedem a observação do que acontece dentro do empreendimento. 

Por fim, não há como deixar de mencionar o papel dele na eficiência do ponto de vista estético. Esse elemento torna-se destaque na edificação ao valorizar a beleza, técnica e a tecnologia usada. 

Em resumo, ao mesmo tempo que garante o conforto térmico e luminoso, ele assume um papel importante como elemento envoltório do empreendimento. Nesse caso, o brise também é necessário para a determinação da forma final das edificações.

Leia também: Arquitetura e design de interiores: tendências para os próximos anos

Brise e sustentabilidade: qual a relação?

Mesmo que esse não seja o objetivo principal do brise, o elemento também tem uma relação interessante com a sustentabilidade. Isso porque o controle térmico e luminoso colabora com a redução da demanda energética

Ou seja, com a qualidade e conforto da temperatura interna, haverá uma menor necessidade de usar meios artificiais de ventilação. Como, por exemplo, os ventiladores e ar condicionado. 

Vale destacar que, além do alto consumo energético necessário para a utilização do ar condicionado, esse aparelho é um dos grandes vilões da preservação do meio ambiente. 

Para acrescentar, ainda de acordo com o artigo citado anteriormente, foi constatado que uma fachada de brises garante uma economia energética anual de 18,7%, se comparado com as edificações de fachada de alvenaria e janela exposta. 

Nesse sentido, além de garantir o conforto, os brises colaboram com a economia do usuário e, consequentemente, com a sustentabilidade da construção. Ele também gera impacto significativo no desempenho da própria edificação devido às condições de conforto ambiental.

Leia também: Práticas sustentáveis na construção civil: entenda o cenário atual do setor

Como aplicar esse elemento nos projetos?

Brise nos projetos

Para aplicar o brise nos projetos é necessário a atenção quanto a certos fatores. Isto é, deve-se ter em mente a orientação solar da superfície. 

Além disso, é preciso compreender qual horário do dia esse ele cumprirá melhor com a função, com base nos períodos em que mais ocorre a incidência da radiação solar. Logo, é necessário analisar:

  • Ventilação;
  • Luminosidade;
  • Visibilidade dos espaços;
  • Características adversas do clima

Todas essas questões influenciam na escolha do tipo de brise ideal, como a matéria-prima usada, o peso, os custos e os processos de manutenção.

Além disso, a direção dos brises também afeta a qualidade da sua funcionalidade, de acordo com as características do ambiente. Por exemplo, na vertical ele é indicado para orientações Leste e Oeste. 

Já o na horizontal é ideal para as incidências da direção Norte. E o misto é perfeito para o acompanhamento da trajetória solar, já que permite ajustes ao longo do tempo.

Com base nessas informações e fatores, será possível avaliar a melhor solução em brise para o seu projeto. Tenha em mente, também, os principais objetivos e selecione o dispositivo que alinha estética com proteção.

Dicas para reduzir custos e garantir prazos na entrega do empreendimento: acesse e baixe o infográfico!

Próximo passo

Podemos concluir que o brise é um elemento moderno que gera vantagens importantes para a vida útil do projeto e satisfação do seu cliente

Afinal, a característica estética e harmoniosa, qualidade sustentável e contribuição para a economia do consumo energético resultam na combinação perfeita para o sucesso da edificação.

E se você gostou desse conteúdo e deseja ter acesso a mais como este, recomendamos que clique aqui. Assim você será direcionado a nossa página de blog com conteúdos completos sobre as novidades e principais informações do setor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *