Confira a importância da Curva S na gestão de obras

curva s

A Curva S na gestão de obras é uma ferramenta importante para a comparação, compreensão e avaliação dos resultados. São analisados os efeitos esperados e os obtidos para identificar erros e padrões de comportamento.

Pensando na importância dessa estratégia, reunimos neste conteúdo tudo que você precisa saber sobre o gráfico e como aplicá-la no seu empreendimento. Confira!

Como funciona a Curva S na gestão de obras?

A Curva S é uma metodologia que resulta no percentual referente a um período de tempo determinado e o acumulado. Graficamente ela representa o acúmulo das distribuições de determinado fator da produção, como mão de obra, equipamentos e materiais. Ou seja, ela serve para determinar o volume do desenvolvimento do projeto nesse período.

Um estudo sobre o assunto ainda afirma que “a curva S pode ser também denominada de curva de distribuição ou agregação acumulada. Basicamente, a curva pode ser empregada como técnica de planejamento, programação e/ou como técnica de controle”. 

Em outras palavras, essa é uma maneira mais eficiente de adquirir as informações de gerenciamento para o acompanhamento mais preciso dos projetos. A representação gráfica contrasta e compara o que foi planejado com o que está sendo realizado.

O nome dessa estratégia se dá ao formato gráfico feito pela curva. O S representa a soma acumulada de um total referente a um atributo desejado para cálculo, como homem-hora e avanço físico/financeiro.

Em todo início dos projetos o nível desses recursos/atividades será baixo. Enquanto no meio, os instrumentos serão mais utilizados, aumentando o volume. Já no final, com o risco reduzido dos projetos, não será necessário o uso de um volume alto deles. Logo, é justamente na fase de execução que acontece o pico de utilização das soluções, resultando no formato do S.

E por ser de fácil uso e entendimento, as construtoras a utilizam para o melhor gerenciamento de obras.

A importância deste método 

curva S

Este método é importante para a construção civil justamente por sua facilidade de acompanhamento e controle. Ela permite que gestores avaliem o avanço da obra, analisando se há atrasos ou adiantamentos, conforme o que foi planejado no cronograma.

Tudo isso é possível ser examinado apenas com a linha de base e a porcentagem acumulada.

Portanto, o papel da Curva S na construção civil é a de avaliação do desempenho e performance das atividades. Com o acompanhamento da curva, é possível identificar o tempo utilizado para a realização de cada uma.

A importância desse método no setor está na possibilidade de verificação do que já foi executado, o que ainda está sendo realizado e os impactos dessas informações no planejamento, cronograma e gerenciamento de obra.

Em resumo, ela garante o sucesso do projeto, reduzindo erros, desperdícios e otimizando o tempo. Isso porque essa ferramenta demonstra os desvios de prazos, custos e produtividade. A vantagem está na possibilidade de uma visão global do projeto, tornando o funcionamento mais eficiente.

Vale destacar que essa metodologia também permite o agrupamento de diferentes unidades de medição, permitindo o conjunto de diversos atributos em um único só gráfico.

Em conclusão, os benefícios de sua aplicação são:

  • Maior assertividade na validação do projeto;
  • Facilitação da avaliação do desempenho e desenvolvimento da obra até o final;
  • Possibilidade de ser aplicada em diferentes empreendimentos, independentemente da sua complexidade ou tamanho;
  • Controle do que foi planejado de acordo com tempo e custo;
  • Colaboração com a identificação de tendências de comportamento e análise preditiva;
  • Apontamento do total necessário de recursos para a execução da obra;
  • Permissão da revisão constante de cada etapa.

Como aplicá-lo na gestão dos projetos

Antes de aplicar essa estratégia no gerenciamento de obras é preciso coletar algumas informações e assegurar a realização de alguns passos. Logo, tenha as etapas do projeto definidas, cronograma estabelecido por períodos (seja ele por dias, semanas ou meses) e o orçamento determinado.

Além disso, use a metodologia logo no início. Esse é o período recomendado para acompanhar de perto todas as mudanças desde o começo do projeto. Até porque, para gerar a curva sem grandes retrabalhos é preciso ter a concordância nos elementos citados acima. Contudo, ela também pode ser usada em obras já em andamento.

Não deixe de analisar os dados gerados com apoio em outras métricas e indicadores. Apesar de bem simples e explicativa, ela não consegue realizar sozinha uma visão geral da gestão de obra. Até porque algumas conclusões não podem ser observadas só com essa metodologia.

Por exemplo, ela pode apontar para atrasos ou adiamentos da obra graças a análise da curva do Planejado x Executado. Contudo, não cobre a possibilidade de prazos demorados por conta de setores da obra que não afetam o caminho do projeto em si.

E por fim, realize a adaptação da curva a realidade da sua obra. Atualize os padrões já identificados e os adéque à sua obra. Assim, a avaliação e aferição serão mais precisos. 

E claro, saiba definir e analisar o que foi planejado com o que foi efetivamente realizado. Então estabeleça uma linha base com as informações e a preserve. Assim será mais fácil de realizar a comparação.

Ressalta-se que a linha de base do projeto pode ser representada pela integração do escopo, tempo e custo. Em outras palavras, ela é o resultado do percurso pelo qual a obra precisa seguir. 

Como usar a Curva S na prática

curva S

A Curva S pode ser realizada em uma planilha simples de excel ou softwares mais completos de gestão. Seja qual for a opção escolhida, a aplicação continua sendo a mesma.

Uma dica para quem optou pelo excel é usar a representação dos percentuais do período após a configuração para que eles sejam apresentados gráficos de barras. Já a porcentagem dos acumulados o ideal é que estejam no gráfico de linha.

No geral, ela pode ser aplicada em formato de tabela com algumas colunas. Na primeira delas são colocadas as datas do período escolhido para o controle. 

Enquanto isso, na segunda são impostas a porcentagem do que foi planejado no período da linha base. Já a terceira é composta pela percentual do planejado acumulado, de acordo com a mesma linha.

Por fim, a quarta representará a porcentagem do que foi executado no período e a quinta terá a do executado acumulado.

Esses indicadores serão representados na curva, sendo responsáveis pela compreensão facilitada do gestor da obra.

Próximos passos

Este conteúdo apresentou o conceito da Curva S na construção civil, bem como suas características e dicas de como aplicá-la no gerenciamento da sua obra. 

Destaca-se que essa é uma metodologia que facilita a análise e o acompanhamento dos resultados, mas não pode ser a única ferramenta utilizada para avaliação.

E se você deseja entender como pode garantir os prazos de entrega e ainda reduzir os custos, baixe o nosso infográfico gratuitamente:

curva S

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.