Escolhendo fornecedores no setor de construção civil

Em qualquer setor, manter um relacionamento positivo com os fornecedores é fundamental para o sucesso da empresa. No mercado da construção civil, proteger essas relações é indispensável para a consolidação dos empreendimentos. Especialmente para pequenas e médias construtoras e lojas de construção civil. Mas como escolher os melhores fornecedores para o seu negócio? Fique atento às dicas do que deve ser levado em conta ao firmar este tipo de parceria. Uma boa escolha pode evitar muitas dores de cabeça.

Cuidados

Os critérios mais relevantes para uma boa escolha incluem bom atendimento, qualidade do produto, bons preços e prazos de entregas. Porém, o erro mais comum é a escolha direta de fornecedores com os menores preços no mercado. Muitas coisas precisam ser analisadas além disso.

É importante atentar-se ainda que o setor de materiais de construção infelizmente possui uma das piores reputações quando o assunto é comprometimento. Quem trabalha na área escuta com frequência sobre histórias de materiais comprados e não entregues. Ou mesmo entregas que não foram pagas. Ou ainda atrasos, materiais defeituosos ou em quantidade errada.

Portanto, cuidar com a escolha do fornecedor evita que problemas como descumprimento de prazos e entrega de produtos inferiores comprometam o andamento, a qualidade e a rentabilidade da obra. E, além disso, também coíbem práticas incorretas na indústria, tais como desrespeito à legislação ambiental, trabalhista e fiscal.

Sendo assim, é essencial que s escolham apenas empresas que respeitam as exigências e os padrões de qualidade específicos do setor. Quando isso se torna prioridade no fechamento de parcerias, o empresário previne-se de prejuízos e cultiva a reputação de sua empresa, garantindo bons insumos e um ótimo resultado a seus clientes.

O que avaliar ao escolher fornecedor

1. Credibilidade

Comece sabendo que a credibilidade de uma empresa tem relação direta com a formalidade e a legalidade. Ou seja, empresas que têm uma marca consolidada no mercado estão sempre atentas à legalidade de seus produtos e processos. Assim, tratam suas negociações com a devida formalidade e respeito necessário entre as partes.

A dica é: fuja de fornecedores informais! Esse tipo de fornecedor não possui compromisso legal caso algo de errado aconteça. Se for necessário, verifique o registro da empresa no Cadastro Nacional das Pessoas Jurídicas (CNPJ).

Além disso, busque sempre referências com clientes que já compraram ou utilizaram os serviços desta empresa. Dessa forma é possível avaliar a reputação. É preciso buscar por fornecedores sérios e que tenham experiência na área de atuação.

2. Segmentação

É preciso segmentar os diferentes tipos de fornecedores. Por exemplo, um fornecedor que atende bem pequenas demandas e compras de rotina, pode não ser o mais indicado para compras em grande volume. É importante separar os fornecedores de acordo com o valor estimado de cada compra. A segmentação também pode acontecer por tipo de obra ou material.

Para obras residenciais, empresas especializadas têm acesso às últimas tendências em decoração e aumentam a qualidade dos empreendimentos mais exclusivos. Em obras de grande porte, as empresas devem ter uma capacidade ampla para conseguir uma grande carga de materiais.

3. Preços

Cotar preços é fundamental. O cuidado maior deve ser feito na análise comparativa entre as opções pesquisadas. É muito comum o vendedor de uma empresa tentar vender um produto similar de menor preço. Não é possível comparar preços de fornecedores que entregam coisas de qualidade diferentes.

Rohden

A máxima “o barato sai caro” é quase sempre válida no meio de construção civil. Produtos com preços muito abaixo do mercado podem deixar a desejar no desempenho e significarem um prejuízo mais adiante. Preços muito abaixo do padrão podem revelar matérias-primas inadequadas ou processos produtivos com controle de qualidade deficiente. Por isso é importante conhecer a empresa de quem se está comprando.

4. Normas Técnicas

Essa é uma condição obrigatória. Comprar de fabricantes que cumprem as normas técnicas trata-se de pré-requisito para a garantir a qualidade dos materiais. Assim como a segurança e o conforto dos usuários. A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), em sua NBR 15.575: 2013, de Edificações Habitacionais, define os parâmetros de desempenho mínimo para os principais elementos de uma edificação. Pensando nisso, garanta que seus fornecedores trabalhem com produtos que atendam às regras da NBR 15.575.

5. Prazos de entrega

Cronograma e o planejamento são etapas básicas e fundamentais de qualquer obra. Se uma tarefa é realizada fora do prazo previsto, todas as etapas subsequentes estarão em risco. Isso é coisa sério. Quando há atrasos no projeto, o cliente pode não receber seu produto no prazo estipulado. Além de gerar má fama para a empresa, isso pode ter graves consequências, como multas contratuais.

Na obra civil, em alguns casos, a economia de tempo sobressai ao preço. Ou seja, as vezes é “mais barato” receber antes do que comprar por menos. Analise bem os prazos de entrega dos fornecedores antes de bater o martela em uma escolha. Além disso, sempre tenha um plano B para cada entrega. Pois, caso um fornecedor falhe, você pode recorrer a outro e evitar atrasos maiores.

6. Qualidade e Quantidade

Infelizmente, uma prática rotineira é uma empresa começar entregando itens em excelente estado e, ao longo do relacionamento, deixam a qualidade cair. Esses casos são mais recorrentes em empresas de blocos cerâmicos ou de concreto, agregados, concreto ou argamassa usinados. E, apesar de parecer óbvio, a quantidade também deve ser sempre verificada. É preciso garantir que a obra está recebendo exatamente a quantia que foi comprada, sem brechas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.